Poesias

Silvia Regina Costa Lima

AMLAC (Academia Metropolitana de Letras, Artes e Ciências)

facebook.com/silviaregina.costalima

O ANJO VENCEDOR (Personagem n.5)

Eu vejo tanto desespero nela, Senhor

-na sua solidão, no escuro, sem amor.

Ah, que desejo tamanho de a ajudar,

como eu espero fazer dela o novo ser

- que sinta, cresça, ouça, ame e vença!

Eu tento - eu luto - eu falo e eu quero;

todo o meu ser hoje nisto se empenha:

fazer Hellen ser feliz - e me entender,

mas sobre todas as coisas... aprender.

Assim, aqui perante todos e o mundo,

eu, Anne Sullivan (a educadora)  juro:

serei para ela olho, ouvido, um arrimo;

serei seu mestre, seu farol, guia, amigo.

E se não bastar, serei o sol ... o seu imo!

Dedicatória (explicação) :

 

Dedico esse pequeno poema a todos que batalham para melhorar a si mesmos, melhorar alguém ou o lugar onde estão vivendo e atuando (seja que local for e de que forma for)

e assim sendo, melhorar esse mundo violento e cheio de desamor e de indiferença - essas pessoas que são "luz e anjo" sem o saber, ou sem assim serem reconhecidas, em vida.

Anne Sullivan, Massachusetts, 1866 - Nova Iorque, 1936 - foi a educadora conhecida por ter sido a professora de Helen Keller, uma adolescente completamente surda, cega e muda

(e isolada em seu mundo interior), a quem ensinou por meio da Linguagem de Sinais e através do tato.

Anne Sullivan também era deficiente; havia sido quase cega, mas depois de duas operações, recuperou alguns graus da visão.

Incansável e muito comovente foi a tarefa de Anne Sullivan  ao tentar fazer com que Helen Keller se adaptasse ao mundo que a rodeava e entendesse (pelo menos em parte) as

coisas que a cercavam. Para isto entrou em confronto com os pais da menina que sempre sentiram pena da filha e a mimaram - sem nunca terem lhe ensinado algo

Com muito carinho, dedicação e perseverança, com amor (um  amor além das barreiras impostas pór todos e pela própria Helen, que não queria, à princípio, perceber a luz que ela

era em sua vida) Anne Sullivan conseguiu ensinar à aluna os alfabetos Braille e manual. Sob sua orientação, Helen  matriculou-se no Instituto Horace Mann para surdos de Boston

e depois na Escola Wright-Humason Oral de Nova York. Aos dez anos de idade aprendeu a falar e disse:

 

“Qualquer dia irei para uma faculdade” - o que, de fato, aconteceu!!!

A história da professora e sua aluna foi recontada na peça e no filme de William Gibson -O milagre de Anne Sullivan)".

FIQUE ANTENADO !

 Preencha os campos informativos abaixo e fique por dentro das últimas notícias de Vinhedo, Louveira, Valinhos e região. 

© 2019  l  Criado por VA90