• Jornal Tribuna Online

Três incêndios potencialmente perigosos atingem região da Capela


Três incêndios potencialmente perigosos atingem região da Capela VINHEDO
Foto: Divulgação.

Três incêndios potencialmente perigosos atingiram a região da Capela na terça-feira, 14 de setembro. Eles foram registrados, a partir das 11h, na Avenida João Edueta, na Rua Nicolau Von Zuben e na Rua José Cain, próximo à Rodovia Anhanguera. Em dois dos incêndios, os indícios apontam ação humana. Na segunda-feira, outro incêndio foi registrado no bairro Caixa D´Água, em uma empresa de compostagem. Não houve feridos nem foi necessário interditar imóveis. “Estamos com a vegetação muito seca e umidade muito baixa. Qualquer fonte de calor pode provocar um incêndio de grandes proporções, como o que aconteceu próximo da Anhanguera. Uma bituca de cigarro acesa jogada na estrada, um fósforo apagado e ainda quente, podem iniciar as chamas. É preciso entender que, nesta época, qualquer fogo em matinho pode virar um grande incêndio que vai colocar vidas em risco”, afirmou o diretor da Defesa Civil de Vinhedo, Mauricio Roberto Barone. O fogo na José Cain foi o mais agressivo, consumiu 36 mil metros quadrados de vegetação rasteira, teve início próximo à rodovia por volta das 18h, e colocou em risco um condomínio instalado na região. As chamas foram combatidas pelos Bombeiros, pela Defesa Civil e pela Autoban, concessionária que administra a rodovia. Foi necessário isolar o condomínio de apartamentos para evitar que o fogo atingisse os imóveis. “Pegou fogo em volta do condomínio. Tivemos que fazer uma linha de isolamento para evitar maiores riscos”, explicou Barone. Foram necessárias quase quatro horas de combate às chamas até que a área estivesse estabilizada, sem novos focos. Na Von Zuben, o fogo começou de manhã, por volta das 11h, atingiu três mil metros quadrados de área e chegou bem próximo de uma empresa. Na João Edueta o incêndio começou por volta das 14h30, afetou 2,5 mil metros quadrados de vegetação e ficou bem perto de uma central de reciclagem. Nos dois casos, Bombeiros e Defesa Civil levaram cerca de duas horas para combater as chamas, com indícios de terem sido provocadas por ação humana. “Alguém coloca fogo em um matinho e dá início a um incêndio de grandes proporções”, disse Barone. O bairro Capela ainda não tem seu Núcleo Comunitário de Proteção e Defesa Civil (Nupdec) instituído. No Nupdec, moradores e administração pública atuam para entender as vulnerabilidades que as regiões enfrentam e as capacidades da própria comunidade para atuar em conjunto prevenindo, mitigando e, se necessário, respondendo às demandas. CAIXA D’ÁGUA Segundo Barone, no bairro Caixa D´Água, que já tem seu Nupdec atuando e treinado, o incêndio na segunda-feira foi contido rapidamente com a ajuda da comunidade. “O incêndio começou subterrâneo, sob pilhas de compostagem, possivelmente pela soma de baixa umidade, calor intenso e madeira seca. Poderia ter sido um grande problema. Mas a comunidade treinada acionou a Defesa Civil assim que surgiram os primeiros sinais de fumaça, o que agilizou os trabalhos”, disse.

O fogo no Caixa D´Água começou por volta das 9h, quando a Defesa Civil foi acionada, junto com os Bombeiros. “Ficamos o dia todo combatendo focos de incêndio na compostagem, mas a ação foi rápida porque a comunidade está mobilizada e contribuiu com os trabalhos”, afirmou o diretor da Defesa Civil. O fogo mobilizou ainda a Sanebavi e a Secretaria de Serviços Municipais.

3 visualizações0 comentário