• Jornal Tribuna Online

Vinhedo acata determinação do Estado de ‘toque de restrição’ das 23h às 5h


Vinhedo acata determinação do Estado de ‘toque de restrição’ das 23h às 5h VINHEDO
Foto: Divulgação.

Vinhedo vai acatar a determinação do governador João Doria, que anunciou nesta quarta-feira, 24, em coletiva de imprensa, medidas restritivas de circulação em todas as cidades do Estado de São Paulo. O “toque de restrição” vale das 23h às 5h e tem como objetivo endurecer a fiscalização a festas e aglomerações clandestinas. Vinhedo, e a região de Campinas, continuam na fase amarela do Plano São Paulo do Estado.

A restrição de circulação vigora a partir desta sexta-feira, 26, até o dia 14 de março e ocorre devido ao aumento de casos de internações devido à covid-19. No Estado, são 6.657 pessoas internadas em leitos de UTI exclusivos para pacientes com a doença, segundo o Governo do Estado.

Vinhedo tem nove pacientes internados em UTI de coronavírus, 4.185 casos confirmados e 65 mortos por causa da doença.

O coordenador do Centro de Contingência Contra a Covid-19 do Estado, Paulo Menezes, declarou que, se a tendência atual se mantiver, pode haver esgotamento de leitos de UTI em três semanas.

O governador anunciou, ainda, que infratores poderão ser multados por desrespeitarem o Plano SP, com multas que podem chegar a R$ 10,6 milhões. O governo anunciou que fará blitz da Polícia Militar para fiscalizar eventos ilegais e que geram aglomeração de pessoas.

A Guarda Civil Municipal de Vinhedo tem realizado fiscalizações constantes para coibir aglomerações e festas clandestinas na cidade e se colocou à disposição da Polícia Militar para endurecer o cerco contra infratores.

Segundo o governo Estadual, os serviços essenciais continuarão a funcionar normalmente durante qualquer período, inclusive o horário restrito. Também não haverá advertência, multa ou impedimento à circulação de trabalhadores.

Menezes apontou duas possibilidades para o recrudescimento da pandemia: o grande número de aglomerações e festas clandestinas desde o final de dezembro e a circulação de novas variantes do coronavírus.

O Secretário de Saúde do Estado de São Paulo, Jean Gorinchteyn, reforçou a preocupação dos especialistas do Centro de Contingência. “Não adianta nós só ampliarmos leitos e distribuirmos respiradores. Se as medidas restritivas não forem feitas, teremos impacto na saúde em 22 dias”, alertou.

118 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo