• Jornal Tribuna Online

Entrevista com Elisabeth Manfredini

A AMALO (Associação Amigos dos Animais de Louveira) foi fundada em 2015 pela atual vereadora Priscilla Finamore. Na época, ela tinha um hotel de cães, e como era um serviço esporádico estava cheio somente em feriados e, em outros períodos, sempre estava vazio. Foi, então, que ela começou a recolher animais da rua e colocar no hotel e, quando percebeu, já estava com mais de 30 animais e decidiu que não teria mais hospedagem, que fundaria, então, uma ONG para ajudar estes cães de rua. Hoje, 6 anos depois, a Priscilla Finamore está em seu segundo mandato, como vereadora na cidade e quem está à frente da presidência da AMALO é Elisabeth Manfredini, que acompanhou desde o início o surgimento da ONG.

Entrevista com Elisabeth Manfredini LOUVEIRA
Foto: Arquivo Pessoal.

Jornal Tribuna (JT): Como você se tornou presidente da AMALO?

Elisabeth Manfredini (EM): Eu conheci a Priscilla em 2015, quando vi uma placa na frente do hotel de cães de "Feira de Adoção ". Eu havia resgatado uma cadela com filhotes e não tinha aonde levar. Parei no hotel, conheci a Priscilla, ela me ajudou e acolheu a mãe e os filhotes e foi, neste momento, que nasceu uma imensa amizade. Hoje, somos como mãe e filha.


(JT): Qual a estrutura da associação (quantos funcionários, voluntários e animais)?

(EM): Hoje, a Associação conta com uma sede, aonde, alojamos, aproximadamente, 300 animais entre cães e gatos. Na sede, temos 2 funcionárias e 1 voluntária. Além disso, atualmente, temos a base de atendimento que fica no bairro Santo Antônio e funciona como uma clínica veterinária a baixo custo. Lá temos 1 funcionária e 2 veterinárias.


(JT): O que o trabalho da AMALO representa, hoje, para Louveira?

(EM): O trabalho da AMALO é uma luta infinita, desde 2015, resgatando, cuidando, castrando e doando animais em nossa cidade. Já contabilizamos em número, mais de 1000 animais que foram acolhidos.


(JT): Como a AMALO se mantém atualmente?

(EM): A AMALO se mantém 100% de doações, de venda de rifas, produtos personalizados, doações de amigos e amantes dos animais. Não recebemos nenhuma verba pública.


(JT): Como uma pessoa pode contribuir com a AMALO?

(EM): Temos várias formas de ajudar: doando materiais de limpeza; Ração (sem corante); tampinhas plásticas; óleo usado; ou ser um doador mensal por boleto. Visite nosso site: www.amalo.org


(JT): Existe algum projeto que você gostaria que se tornasse realidade na AMALO?

(EM): Hoje, conquistamos a Base de Atendimento da AMALO, que está instalada na Av. Ricieri Chiqueto, 382, em frente ao Resende. Lá temos desde atendimento veterinário até exames de imagens e laboratoriais a baixo custo. Nossa meta é transformar a Base de Atendimento em 24 horas. Esse é nosso maior projeto.


(JT): Para encerrar, há algum lema que a marca ou uma mensagem que gostaria de deixar aos louveirenses?

(EM): Amalo, Uma Luta Infinita.

0 visualização0 comentário