• Jornal Tribuna Online

Entrevista com Josi

Josi Martini Caldana é natural de Louveira, de família tradicional da cidade e, há 26 anos, comanda o Buffet Macal e há pouco mais de um ano, também, está à frente do Restaurante Macal. Josi conciliou a criação de seus três filhos: Ana Catarina, Leandro e Matheus, ao lado do seu marido Gilberto, com sua história de sucesso à frente dos negócios. O Jornal Tribuna conversou com a empresária louveirense.

Entrevista com Josi Martini Caldana LOUVEIRA
Foto: Arquivo Pessoal.

Jornal Tribuna (JT): Quando e como surgiu a ideia de abrir o Buffet Macal?

Josi Caldana (JC): A ideia de abrir o buffet surgiu de uma necessidade. Meu marido fazia parte de uma empresa familiar que faliu. Eu tinha as crianças pequenas, um filho portador de necessidades especiais e eu precisava tomar uma decisão de ajudar meu marido a pagar as contas. Eu tenho um espaço muito grande na minha casa, uma edícula, onde montei uma cozinha industrial e de lá eu fazia almoço, refeições individuais para famílias. Eu atendia 15, 20 famílias na cidade e fornecia comida todos os dias e, depois, as mesmas famílias que eu fornecia começaram a me pedir para eu fazer o aniversário do filho, casamento. Eu fiquei 1 ano fazendo pequenos eventos na cidade e depois comecei a comprar meus equipamentos e passei a fazer eventos grandes, para 2 mil pessoas. Fiquei 10 anos com o buffet itinerante e depois meu irmão construiu esse prédio, onde é, hoje, o Buffet Macal.


(JT): Quais os tipos de serviços oferecidos no Buffet Macal?

(JC): Hoje já tenho um Buffet de 26 anos. Eu tenho praticamente tudo aqui, todo material, mesas, cadeiras, toalhas, todos equipamentos. Meu filho tem toda a parte de som e iluminação. Atualmente, nós fazemos desde mini eventos, festas infantis, como eventos coorporativos, casamentos.

(JT): O setor de eventos foi um dos mais atingidos pela pandemia. Como vocês se reinventaram neste momento?

(JC): Hoje, além do Buffet, nós temos o Restaurante Macal, a ideia do restaurante veio em torno de um ano antes da pandemia e, como estou ao lado da Prefeitura, pensamos que começar a oferecer comida fosse uma opção para movimentarmos durante a semana. Quando começou a pandemia e os eventos pararam foi o restaurante que sustentou para eu poder manter minha equipe e não mandar ninguém embora.


(JT): Como está sendo a retomada dos eventos?

(JC): Eu vejo que tem muita gente ansiosa para fazer eventos, mas com um número reduzido de pessoas. Tem bastante procura, mas com um número bem menor do que a gente estava acostumado antes. O pessoal está com outra ideia e, também, com o orçamento menor.


(JT): Existe algum projeto que você gostaria que se tornasse realidade no Macal?

(JC): Um próximo projeto que estamos viabilizando é de abrir uma empresa de locação de materiais de evento. Teríamos três setores: buffet, restaurante e materiais para locação. Em Louveira, não tem ninguém que faça esse trabalho de locação e acredito que seja uma ideia que será muito útil em 2022.


(JT): Para encerrar, deixe uma mensagem aos leitores louveirenses.

(JC): Agradeço todos que já utilizaram o serviço do Macal, pois, sem a ajuda das pessoas a gente não sobrevive. Agradeço os que nos prestigiaram durante esses 26 anos, gostam e elogiam nosso trabalho. Gratidão aos louveirenses, vinhedenses e jundiaienses que são meus clientes que têm me sustentado e nos mantido em pé todos esses anos.


6 visualizações0 comentário