• Jornal Tribuna Online

Entrevista com Samuel Moscospki

A Academia Louveirense de Letras e Artes tem como ideal reavivar o amor pela Arte e Literatura, com o lançamento de livros com textos, contos, poesias, poemas, crônicas e artes de autoria dos membros. O Jornal Tribuna conversou, esta semana, com com um dos fundadores da ALLA, Samuel Moscospki, que ocupa a cadeira número 1 e, atualmente, está à frente da vice-presidência da ALLA.

Entrevista com Samuel Moscospki LOUVEIRA
Foto: Arquivo Pessoal.

Jornal Tribuna (JT): Qual o seu nome completo?

Samuel Moscospki (SM): Samuel Moscospki.


(JT): Você é natural de Louveira?

(SM): Sou natural de Jundiaí, mas resido em Louveira, desde criança.


(JT): Conte um pouco sobre você, um breve currículo.

(SM): Sou ex-presidente da Academia Louveirense de Letras e Artes, sou escritor e poeta, participei de várias antologias, tive obras premiadas e publicadas em diversos jornais. Fui um dos idealizadores e fundadores da antiga Associação dos Escritores de Louveira, sou autor da letra do hino da ALLA. Recebi diversas Moções de Congratulações da Câmara Municipal de Louveira. Ocupo a cadeira número 1 da Academia Louveirense de Letras e Artes e meu patrono é o José Ademir Tasso (in memoriam). Atualmente, sou vice-presidente da ALLA.


(JT): Há quanto tempo você participa da ALLA?

(SM): Sou um dos fundadores da ALLA (Academia Louveirense de Letras e Artes) e, antes dela, fui um dos fundadores, ao lado de meu amigo e escritor José Ademir Tasso, da antiga Associação dos Escritores de Louveira.


(JT): Quando começou o seu gosto pela arte de escrever, o que o motivou?

(SM): Eu comecei a escrever, em um dia que eu estava em um ponto de ônibus, quando um jornal passou voando pelo vento, eu sentei ele com o pé e parei para ler e ali estava escrito que ia acontecer um concurso literário de poesias da APP (Associação dos Aposentados e Pensionistas de Jundiaí e Região) e falava para mandar seu poema, sua poesia para lá e o título era: “Desperte o poeta que existe em você” e eu escrevi no primeiro concurso e fui premiado com minha poesia “Sabiá do peito vermelho”. No concurso esteve presente a presidente da Academia de Letras de Jundiaí, Júlia Heimann que, também, me deu todo o apoio e foi aí que comecei a escrever. Tive todo esse sonho, essa trajetória sobre os escritos e as poesias.


(JT): Existe algum projeto que você gostaria que se tornasse realidade na área cultural de Louveira?

(SM): Tenho grandes projetos, ainda, para Louveira. Um dos meus projetos, ainda tenho um sonho de fazer a Academia Louveirense Mirim para as nossas crianças, pois temos muitas crianças que escrevem, lindamente, poesias.

(JT): Qual sua expectativa com relação à cultura louveirense para os próximos anos?

(SM): Hoje, a nossa cultura louveirense tem muito apoio do nosso prefeito que está atento a tudo e a todos, nos deu uma sede nova, creio que, agora, muitos projetos sairão do papel, também, a gente queria falar mais da nossa ALLA que vem da antiga Associação dos Escritores de Louveira.


(JT): Para encerrar, há algum lema que o marca ou uma mensagem que gostaria de deixar aos louveirenses?

(SM): Todos os artistas, poetas, escritores e artesões que fazem com amor esse dom dado por Deus, tenho certeza que transformarão o mundo com lindas inspirações, teremos lindas poesias e lindas mensagens, tudo feito pelo Dom de Deus.

1 visualização0 comentário