• Jornal Tribuna Online

Entrevista com Alvenir Holanda de Oliveira

Com a retomada das aulas presenciais das Oficinas Culturais de Vinhedo em 30 modalidades de curso com mais de 890 alunos, o Jornal Tribuna, preparou uma série de entrevistas com os artes educadores das oficinas culturais de Vinhedo. Nesta semana, vamos conhecer a história da cearense Alvenir Holanda de Oliveira que está responsável por ministrar as oficinas de Costura Criativa promovidas pela Prefeitura de Vinhedo.

Entrevista com Alvenir Holanda de Oliveira VINHEDO
Foto: Arquivo Pessoal.

Jornal Tribuna (JT): Qual o seu nome completo?

(Alvenir Oliveira): Alvenir Holanda de Oliveira.


(JT): Você é natural de Vinhedo? (Caso negativo – de onde é e como foi sua vinda ao município?)

(AO): Sou natural de Fortaleza, no Ceará. Vim para Vinhedo no início da pandemia, em março de 2020, a convite dos meus familiares que já moravam na cidade.


(JT): Qual a sua formação? Conte-nos um pouco de sua trajetória profissional.

(AO): Sou formada em História e Geografia. Iniciei minha trajetória profissional na LBA-7 em um projeto assistencial para crianças de baixa renda ou que viviam em extrema pobreza no município de Quixada, Ceará, no ano de 1979 como professora de alfabetização. Anos depois, terminei minha faculdade e, com a graduação, passei a trabalhar como professora de ensino regular e arte educação em Fortaleza no período de 1989 a 2009, nos centros de ressocialização para jovens que estavam em medidas socioeducativas, na antiga FEBEM. Esse trabalho despertou em mim um grande envolvimento com a arte e percebi o envolvimento dos jovens com os trabalhos executados e a diminuição da evasão escolar com as aulas motivadoras. Em 2012, recebi um convite do Instituto IDESQ.ORG- para trabalhar como professora de cursos profissionalizantes-Jovem Aprendiz e aliado a esse projeto do Governo do Estado do Ceará com parceria com o Instituto IDESQ.ORG, também, foi criado um grupo para atender as senhoras da comunidade GRUPO -Artes Saberes e Afetividades-IDESQ e era oferecido para essas mulheres oficinas de Costura Criativa com reaproveitamento de material reciclado, palestras e afins.


(JT): Qual oficina cultural você ensina na Prefeitura de Vinhedo e há quanto tempo?

(AO): Estou na secretaria de Cultura como professora de Costura Criativa desde 20 de setembro de 2021 no Centro e na Vila Olímpica João XXIII.


(JT): Quantos alunos participam da sua oficina?

(AO): Atualmente, tenho 07 turmas cada turma com 08 alunos em sala, respeitando o distanciamento e todos os cuidados necessários por conta da pandemia.


(JT): Como está sendo a retomada das atividades presenciais?

(AO): O retorno às atividades em sala está tendo uma excelente aceitação como, também, essa oportunidade do retorno à sala de aula melhora em todos os aspectos da vida dessas pessoas, tanto no social como no emocional.


(JT): De onde surgiu seu interesse em atuar como oficineiro?

(AO): Surgiu do edital que foi publicado e não perdi a oportunidade de apresentar meu projeto, enviar meu currículo e acreditar que poderia desenvolver um trabalho por excelência para esse público.


(JT): O que você considera ser a chave para o sucesso do aprendizado?

(AO): O desejo de querer aprender e a disponibilidade para buscar as oportunidades - aliado à determinação e disciplina.


(JT): Para encerrar, deixe mensagem aos leitores vinhedenses.

(AO): Eu agradeço a forma como fui acolhida nesta cidade, a oportunidade que tive de poder desenvolver o que sei fazer de melhor e o carinho e atenção de todos da Secretaria de Cultura, da recepção à direção e o reconhecimento das minhas alunas em cada trabalho executado. Meu respeito e gratidão a todos.

165 visualizações3 comentários

Posts recentes

Ver tudo