• Jornal Tribuna Online

Entrevista com Cristina Maria Bordini Mazon

Cristina Maria Bordini Mazon é atual Secretária de Assistência Social de Vinhedo. Formada em Serviço Social pela PUC-Campinas, especializou-se em Administração de Políticas Públicas e Gestão de Terceiro Setor e possui vários cursos na área Social e Gestão. Trabalha na área de Políticas Sociais desde 1986 em prefeituras da região e, desde 1984, atua no Centro de Especialidades Integradas de Vinhedo (CEIVI). Também foi fundadora na FEAVIN (Federação das Entidades de Vinhedo) onde exerceu a presidência durante 6 anos.

ENTREVISTA COM CRISTINA MARIA BORDINI MAZON VINHEDO
Foto: Arquivo Pessoal.

Jornal Tribuna (JT): Você é natural de Vinhedo (Caso negativo – de onde é e como foi sua vinda ao município?) quais você julga ser as principais qualidades da cidade a seu ver?

Cristina Mazon (CM): Minha família e eu viemos de Santos em 1974. Meu pai veio a trabalho na região e definimos por ficar em Vinhedo. Desde que viemos conhecer a cidade já nos encantamos com as belezas naturais da região. Nestes anos vimos a cidade crescer, mas continuar mantendo uma qualidade de vida que faz de Vinhedo um lugar bom para morarmos e viver com tranquilidade. Sempre há o que melhorar, mas hoje valorizo demais viver nesta cidade, onde tenho toda minha família e amigos.


(JT): De onde surgiu seu interesse pela área social?

(CM): Minha educação sempre foi baseada no respeito e nos valores familiares muito presentes. Sempre pensei em ter uma profissão que pudesse me relacionar diretamente com as pessoas. Conheci uma Assistente Social e me identifiquei com o trabalho. Hoje tenho 35 anos de formada e sempre trabalhei nesta área.


(JT): Como você recebeu o convite do prefeito Dr. Dario para comandar a Secretaria de Assistência Social?

(CM): No ano passado me aposentei e tinha planos de continuar na área, mas fazendo atividades de Assessoria e Voluntariado, quando o Dr. Dario me apresentou suas propostas e fez o convite de assumir a Secretaria de Assistência Social. O que me fez aceitar foi o entendimento de realizar o trabalho de forma profissional, exercendo as atividades de forma técnica e valorizando a Secretaria como meio efetivo de garantir a cidadania dentro dos preceitos preconizados por um Sistema de Garantias de Direitos.


(JT): Como está sendo o dia a dia nesses primeiros dias como secretária?

(CM): A Assistência Social é uma política pública que garante direitos a quem dela precisar, em períodos de vulnerabilidade ou violação de direitos; com o crescimento populacional da cidade vemos o aumento de pessoas que tem necessidade desta política. Com isso, este início, frente à Secretaria, é de conhecimento da situação atual, avaliação dos serviços, organização e definição das funções que respondam às demandas e execução das atividades prioritárias. Após esta fase, iniciaremos um Planejamento Estratégico com Metas que deverão ser construídas de acordo com as Leis vigentes para a Assistência Social.


(JT): Quais os desafios que você acredita que encontrará como nova secretária de Assistência Social de Vinhedo?

(CM): Os desafios são muitos, pois cada indivíduo, em seu universo, tem necessidades múltiplas. Mas, algumas diretrizes devem ser efetivadas já neste início de trabalho: A Inclusão Social, onde as diferenças sejam respeitadas; Priorizar os Conselhos Municipais, que são os representantes legítimos dos anseios da nossa comunidade; Fomentar serviços que atuem diretamente com o fortalecimento dos vínculos familiares; Avaliar o Serviço de Atendimento às Pessoas em situação de Rua; Rever as propostas de parcerias com as Organizações Sociais de forma a garantir a continuidade e melhoria dos serviços ofertados. Não podemos, de forma alguma, esquecer a nossa responsabilidade com o Trabalhador do SUAS que deve ter condições de exercer a política de assistencial.


(JT): Neste momento da pandemia (Covid-19) diversas famílias têm passado por dificuldades. Vinhedo terá algum plano de assistência, com Cesta Básica, vale alimentação? Há algum projeto?

(CM): A Pandemia tem permeado as ações da Secretaria de Assistência Social. Continuaremos mantendo os protocolos e atuando com as vulnerabilidades da população, via Centros de Referência de Assistência Social, os CRAS, que tem critérios estabelecidos para atender às famílias com os benefícios necessários.

O período é, ainda, de se manter as necessidades básicas, mas temos que ressaltar que a pandemia também trouxe outras mudanças importantes. O isolamento Social, as relações familiares, o desemprego, questões de saúde, etc., portanto, a Secretaria de Assistência Social entende que a atuação deve ser voltada ao fortalecimento das relações familiares.


(JT): Quais são seus planos para o futuro?

(CM): Meus planos agora, na questão profissional, estão voltados em desenvolver para os próximos anos o trabalho junto a Secretaria de Assistência Social e colaborar com o Governo do Sr. Prefeito Municipal para garantir uma política de respeito à nossa comunidade.


(JT): Para encerrar, há algum lema que a marca ou uma mensagem que gostaria de deixar aos leitores?

(CM): Quem me conhece ou já trabalhou comigo, sabe que tenho a tendência em valorizar os potenciais de cada indivíduo e das situações vivenciadas. Os limites existem, mas eles se tornam desafios. Acreditar sempre!

29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo