• Jornal Tribuna Online

Entrevista com Domingo 'Mingo' Barbosa de Souza

Domingo Barbosa de Souza, é mais conhecido em Louveira como Mingo. ‘Seo Mingo’ é proprietário do Mingo Frutas, localizado na entrada do bairro Quinta das Videiras, próximo do Cemitério da cidade. Não há quem passe pelo local e não repare nas belas frutas expostas na singela barraca que margeia a estrada que liga Louveira a Vinhedo. De família simples, ‘Seo Mingo’ veio de Pindaí, Bahia, para Louveira há 68 anos, quando tinha apenas 4 anos. A história do louveirense de coração margeia a história do município.

Entrevista com Domingo 'Mingo' Barbosa de Souza LOUVEIRA
Foto: Jornal Tribuna.

Jornal Tribuna (JT): Como surgiu o Mingo Frutas?

Domingos Barbosa de Souza (DS): Comecei a vender frutas em 1996, nas margens da Rodovia Dom Gabriel Paulino Bueno Couto. Apesar de morar em Louveira lá passava mais pessoas, e eu colocava meu caminhão na margem da Rodovia e vendia frutas. Com a duplicação da via, tive que sair de lá e comecei a vender aqui, na estrada Vinhedo-Louveira e foi no ano 2000, que inaugurei a barraca que estou até hoje.


(JT): Qual o diferencial da sua barraca?

(DS): Sempre busco fornecedores da nossa região e algumas frutas importadas. Eu sou muito exigente e meus clientes também, então, sempre busco produtos de qualidade para oferecer sempre o melhor.


(JT) Você tem algum funcionário?

(DS): Sempre trabalhei sozinho. Minha esposa Dalvina me ajudava, mas ela faleceu em 2016. Nunca tive ambição de crescer, ampliar, para mim está bom do jeito que está.


(JT): Como você veio para Louveira?

(DS): Sou de Pindaí, Bahia, mas vim para Louveira, quando eu tinha apenas quatro anos, vi a cidade crescer. Meus pais eram evangélicos, inclusive, meu pai foi um dos fundadores da Assembleia de Deus na cidade. Viemos em busca de oportunidade de trabalho e por aqui ficamos.


(JT): Quais as principais qualidades de Louveira?

(DS): Louveira é uma cidade rica, tem tudo a oferecer. Eu cresci junto com a história de Louveira, quando a cidade não tinha nem prefeito, era apenas um bairro. Eu vi o primeiro prefeito o Sr. Odilon Leite Ferraz. Apesar de não ter nascido em Louveira, me considero louveirense.


(JT): O que Louveira representa para você?

(DS): Eu cresci em Louveira, estudei no Colégio Ladeira, moro na Vila Bossi. Fiz minha vida nesta cidade. Conheci minha esposa Dalvina em Louveira e tive dois filhos, Diler, 34 anos e Deliane, 27 anos. Toda minha vida aconteceu nesta cidade.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo