• Jornal Tribuna Online

Entrevista com Leonardo Augusto Cardoso de Oliveira

Doutor, mestre, bacharel em Música e Pedagogia. Possui especialização em Psicopedagogia e vasta formação e experiência em educação musical, performance e administração pública. Foi docente, atuou como pianista e correpetidor tocando em salas de concertos e festivais de música. Também atuou na área de planejamento administrativo da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas e arquivo da instituição há mais de dez anos.

Para Leonardo, a área de gestão pública e cultura sempre foram de grande interesse durante sua trajetória pessoal e profissional. Desde sua primeira graduação em música (piano erudito) esteve envolvido nas atividades que contribuíam para a prática coletiva de música, acesso à cultura e ao desenvolvimento pessoal e profissional dos alunos. Organizou concertos, mostras e festivais, como: Festival do Instituto de Artes — FEIA 9 (2009); Série de Concertos “Clássicos Unicamp” (200); Oficina de Música de Câmara; Tesouraria do Centro Acadêmico. Durante o último ano de graduação, foi escolhido em um processo seletivo para trabalhar na Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas (OSMC) como músico arquivista. Durante esse período, teve seu primeiro contato com a burocracia municipal. Esteve envolvido na organização do acervo da instituição — catalogação, acondicionamento, higienização — além da preparação do material para os concertos e ensaios.

O contato direto com a produção fez com que ele se envolvesse na área de planejamento estratégico da OSMC. Foi, então, que desenvolveu suas habilidades na área de gestão pública: preparação dos contratos com as produtoras e músicos; avaliação de projetos; abertura de licitações; fiscalização e gestão de contratos; tomada de preços; recepção de notas fiscais. Foi, também, docente em cursos de MBA e Licenciatura em Pedagogia (Faculdade de Sumaré), além de ter trabalhado como consultor em escolas da rede municipal de Campinas como psicopedagogo. Entre os anos de 2008 a 2019 deu aulas de piano em um estúdio especializado em música para a primeira infância, além de fazer atendimentos domiciliares.

É Doutor (2017-2020) e Mestre (2010-2013) em Saúde, Interdisciplinaridade e Reabilitação pela Unicamp. Durante o ano de 2019, desenvolveu um projeto com o objetivo estudar os processos de interação em roda entre professor, crianças, pais e avós vivenciando um trabalho pedagógico musical que visou à preservação e ampliação de um repertório musical para a primeira infância no ambulatório do Cepre, da Unicamp. Durante seu mestrado, pesquisou a trajetória de músicos cegos no Brasil e como resultado publicou, com outros autores, um livro premiado internacionalmente. Atualmente, aceitou o desafio e assumiu a Secretaria de Cultura e Turismo de Vinhedo.

ENTREVISTA COM LEONARDO AUGUSTO CARDOSO DE OLIVEIRA VINHEDO
Foto: Jessica Jensen.

Jornal Tribuna (JT): De onde é e como foi sua vinda para Vinhedo?

Leonardo Oliveira (LO): Sou natural de São José do Rio Preto, mas apenas nasci na cidade. Vivi até meus seis anos em uma pequena cidade chamada Indiaporã, de onde veio meu pai. Nos mudamos para a cidade de minha mãe, Fernandópolis, onde vivi até meus 17 anos. Aos 19, Campinas acolheu-me, após ser aprovado no curso de música. Continuo na mesma cidade desde então.


(JT): Como você recebeu o convite do prefeito Dr. Dario para comandar a Secretaria de Cultura e Turismo?

(LO): O convite feito pelo Dr. Dario veio por intermédio de um colega da faculdade, Rafael Vanazzi, que pediu algumas indicações para a minha orientadora. Quando soube que ele estava buscando uma pessoa para compor sua equipe, enviei meu currículo a ele. Tivemos uma primeira conversa para nos conhecermos. Desde esse momento houve uma identificação: temos valores e preocupações em comum. A princípio, não sabíamos qual seria minha função e após uma conversa com o restante da equipe, o Dr. Dario fez o convite para que eu ficasse à frente da pasta de cultura e turismo.


(JT): Como está sendo o dia a dia neste quase um mês como secretário?

(LO): Estou secretário há quase trinta dias. Neste período, realizei um trabalho intenso de pesquisa e planejamento. Minha preocupação foi de fazer um diagnóstico inicial para planejar os próximos, tanto a curto, como a médio e longo prazos. Procurei otimizar o meu tempo, encontrando-me com os conselhos, escutando as demandas da população e do restante dos servidores, para que, assim possamos ser assertivos em nossas prioridades. Nossa preocupação é escutar a demanda da população para prestarmos um serviço de qualidade e que esteja alinhado com as expectativas dos vinhedenses.


(JT): Quais os desafios que você acredita que encontrará na secretaria de Cultura e Turismo?

(LO): Nossa equipe é qualificada, proativa e envolvida com o trabalho. Com isso, estou muito otimista com os desafios que encontramos. Tenho uma visão bastante clara das dificuldades que temos à frente — reflexo desse período de diagnóstico inicial e escuta ativa das queixas da população. Sabemos que temos que fortalecer as comunidades locais e a identidade do município; dar visibilidade aos artistas locais, apoiar os produtores de vinho, uva e artesãos, ampliar e fortalecer os negócios locais voltados ao turismo, além de estimular uma agenda ativa de atividades culturais que se revertem em uma economia ativa e acolhedora aos turistas. Certamente essa não é uma tarefa simples, entretanto, com planejamento, conseguiremos criar uma nova Vinhedo.


(JT): Quais são as expectativas com relação ao turismo da cidade nos próximos anos?

(LO): O setor de turismo sofreu muito com a pandemia. Nossa preocupação nesses primeiros cem dias é de reabrir o Memorial do Imigrante para reafirmá-lo como um espaço de recepção e acolhimento de turistas. Estou com uma equipe trabalhando intensamente para reviver esse espaço que está em um ponto estratégico do município. Também estamos trabalhando em um projeto de lei para aprovação de Vinhedo como Município de Interesse Turístico, com isso, haverá divulgação de Vinhedo como destino turístico, além de recebermos repasses de verbas para infraestrutura concedidas pelo governo do Estado. Com o fim da pandemia, iremos disponibilizar um serviço de visitações guiadas para visitantes e munícipes para valorizar os espaços de turismo e cultura locais. Outro ponto importante é a valorização do cicloturismo, com a criação de rotas e pontos específicos de encontros.


(JT): Deixe uma mensagem à população vinhedense

(LO): Estamos comprometidos em trabalhar para o município e sabemos que esse momento delicado de pandemia é uma janela de oportunidade para repensarmos os modelos que vivemos até o momento. Queremos construir uma nova Vinhedo, mais acolhedora, com acesso à arte e cultura, e que os moradores tenham orgulho de dizerem são daqui.

347 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo