• Jornal Tribuna Online

Entrevista com Milton Ricardo Ribolli

Milton Ricardo Ribolli é natural de Campinas, mas é funcionário concursado da Prefeitura de Vinhedo como fiscal sanitário desde 2003. Já atuou como gerente da Vigilância Sanitária, diretor da Vigilância em Saúde e, atualmente, ocupa o cargo de Secretário da Saúde. É formado em Economia, pós-graduado em Vigilância Sanitária em medicamentos, produtos saneantes e produtos para Saúde, e, também, tem pós-graduação em Gestão em Vigilância Sanitária. Milton Ribolli conversou com o Jornal Tribuna sobre Vinhedo, os desafios da pasta e do momento de pandemia.

Entrevista com Milton Ricardo Ribolli VINHEDO
Foto: Divulgação.

Jornal Tribuna (JT): Em sua opinião, quais as principais qualidades da cidade?

Milton Ribolli (MR): Eu acredito que seja a qualidade de vida. O município oferece uma estrutura, uma cidade bem cuidada, com uma estrutura de lazer e gastronômica. Combina as facilidades de um grande centro com os cuidados de uma cidade de menor porte.


(JT): Como você recebeu o convite do prefeito Dr. Dario para comandar a Secretaria de Saúde?

(MR): Recebi o convite do Dr. Dario para assumir a Secretaria da Saúde com muita alegria, satisfação, e, também, com a expectativa de um grande desafio por conta do momento que a Saúde enfrenta há mais de um ano em decorrência da pandemia que assola, praticamente, todo o mundo.


(JT): Como está sendo estar à frente da Secretaria de Saúde neste momento de pandemia?

(MR): Estar à frente da Secretaria neste momento é enfrentar o desafio de continuar o monitoramento, o atendimento aos doentes de Covid-19, completar a vacinação de toda a população contra a Covid-19 com êxito, sem esquecer das demais áreas da Saúde como as vacinas de rotina, cirurgias, atendimento a outras doenças que não deixaram de acontecer neste período e, principalmente, planejar a retomada dos atendimentos no pós-covid, para diminuir a demanda reprimida durante a pandemia.


(JT): O que a população pode esperar da Saúde em Vinhedo para este segundo semestre?

(MR): Para o segundo semestre o que está planejado é o complemento desta retomada gradual que vem desde o início do ano das ações eletivas que foram suspensas como: cirurgias, cirurgias ortopédicas e outros procedimentos que ficaram suspensos por conta da pandemia. A retomada dos exames, consultas, procedimentos, para diminuir as filas e zerar a demanda.


(JT): Quais medidas a Prefeitura, por meio da Secretaria da Saúde, tem realizado no enfrentamento da pandemia?

(MR): Desde o início da pandemia, a Secretaria de Saúde adotou algumas medidas para reduzir como um todo a propagação e diminuição da doença. Medidas como a separação do fluxo respiratório e não respiratório, ou seja, nas três portas de urgência e emergência do município, nós separamos as entradas. O suspeito de Covid segue o fluxo por uma entrada e o munícipe que tem a queixa de alguma outra doença não respiratória é atendido em outro fluxo sem contato, para evitar a contaminação. Também, realizamos treinamento de toda a equipe da Secretaria de Saúde, campanhas educativas, reforço da distribuição de equipamentos de proteção individual aos profissionais de Saúde e, principalmente, concentrar todos os esforços para conseguir realizar a vacinação, de acordo com o cronograma Estadual. Para executar essa imunização o mais breve possível, de acordo com a disponibilidade de doses. Também, efetuamos a higienização dos estabelecimentos de Saúde em parceria com a Defesa Civil e SERM, áreas externas dos prédios foram desinfectadas.


(JT): É possível dizer que a pandemia do coronavírus, em Vinhedo, está controlada?

(MR): Sim, é possível dizer que, neste momento, a pandemia está controlada em Vinhedo. Os índices de monitoramento da Covid-19 que são média móvel de novos casos, internações, óbitos, internações em UTI, estão estáveis, estabilizados, registrando queda. Em comparação com os períodos de maior tensão da pandemia, o momento é mais tranquilo.


(JT): Normalmente, as vacinas demoram para serem desenvolvidas. As vacinas contra a Covid-19 tiveram um processo de aceleração na fabricação. A eficácia desses imunizantes é confiável? Há alguma contraindicação?

(MR): As fases de pesquisa, desenvolvimento clínico e farmacêutico de uma vacina podem durar meses ou até anos. No caso da vacina contra a Covid-19, muitas destas etapas foram antecipadas por conta da necessidade e houve um esforço mundial, diversos países se empenharam para um desenvolvimento mais rápido da vacina. Vale destacar que estas técnicas utilizadas já estavam em desenvolvimento, elas foram adaptadas para a fabricação da vacina contra a Covid-19.

Todas as vacinas utilizadas no país foram testadas e aprovadas, então, são seguras e eficazes.


(JT): Qual a previsão de estar com a vacinação completa (1 e 2 doses) dos adultos em Vinhedo?

(MR): A previsão para finalização do esquema vacinal, ou seja, das duas doses para toda a população adulta de Vinhedo é para o final de Novembro. Isso se não houver antecipação no intervalo praticado nas vacinas Astrazeneca e Pfizer que hoje a recomendação são doze semanas ou, aproximadamente, três meses.

(JT): O senhor teria alguma mensagem ou recomendação final?

(MR): A recomendação final é que apesar do estágio avançado da vacinação, dos indicadores da doença apresentarem queda, a recomendação é a manutenção das medidas de proteção, das medidas sanitária, porque o vírus continua circulando, a nova variante Delta está avançando país. A recomendação é de alerta, respeitar as medidas como uso de máscara, higienização com álcool em gel, o distanciamento social, a flexibilização com cautela.

13 visualizações0 comentário