• Jornal Tribuna Online

Entrevista com Ricardo Barbosa

Antônio Ricardo da Silva Barbosa, mais conhecido como Dr. Ricardo Barbosa, é advogado desde 1996 e tem escritório em Vinhedo, onde atua nos mais diversos ramos do direito, dentre os quais: Direito Empresarial, Societário, Compliance, Direito Civil, Família e Sucessões, Holdings, Eleitoral, Penal, Trabalhista e Tributário. Tem Pós-graduação MBA em Gestão da Administração Pública Municipal.

No ano de 2003, então com 30 anos, foi eleito o Presidente mais jovem de uma Subseção da OAB no Estado de São Paulo, sendo reeleito em 2006, com mais de 85% dos votos. No ano de 2009, foi eleito para o Conselho Estadual da OABSP, sendo reeleito no ano de 2012.

Natural de Vinhedo, a história de sua família está ligada a da cidade. Sua bisavó, por parte de pai, Ana Trevisan Franco, italiana de Treviso, chegou, ainda, recém-nascida ao Brasil por volta de 1890. Seu bisavô Antônio Barbosa, filho de português, foi um dos primeiros funcionários públicos de Jundiaí, no então Distrito de Rocinha, onde hoje, é Vinhedo, na década de 1930, tendo recepcionado o Monsenhor Favorino, então, novo pároco, em sua chegada.

Seu bisavô, então, morava em uma pequena casa, onde, hoje, está instalada a Prefeitura. Seu avô, João Barbosa, foi empresário na cidade, proprietário de uma fábrica de chapéus e motorista de táxi.

Seu pai, Antônio Barbosa “Neto”, quando bem jovem, comandava a fábrica de chapéus da família e, posteriormente, foi contabilista, fundou o escritório de contabilidade Barbosa, o qual existe até hoje, vereador por dois mandatos e diretor municipal da fazenda pública, foi, também, fundador do Rotary Club de Vinhedo e seu primeiro Presidente, primeiro Presidente do PDT da cidade (muitos anos depois, Ricardo, também, presidiu a mesma sigla partidária) e presidiu, durante anos, a Sociedade Beneficente Vinhedense, a qual tem a atual denominação de Associação Italiana Vinhedense.

Sua mãe, Alzira, veio de São João da Boa Vista, de uma família de pequenos sitiantes. Tem duas filhas, Joana (médica), e Júlia (estudante de medicina). Sua família (irmãs e cunhados) continuam com o escritório Barbosa Contabilidade, fundado há mais de 40 anos pelo seu saudoso pai.

Entrevista com Ricardo Barbosa VINHEDO
Foto: Fotos Ferraz.

Jornal Tribuna (JT): Quais você julga ser as principais qualidades da cidade a seu ver?

Ricardo Barbosa (RB): Em primeiro lugar seu povo, sempre muito acolhedor e receptivo, o posicionamento geográfico, o clima da cidade, além do que Vinhedo é a cidade mais linda do mundo, ao menos em minha visão de “pé de uva”.


(JT): Em que área você atua?

(RB): Área do direito empresarial, compliance, cível e penal.


(JT): Como surgiu seu interesse por essa profissão?

(RB): A partir do gosto pela leitura e facilidade na oratória, depois, dentre muitos professores que admiro, tive um que foi um grande incentivador, o qual presidiu a primeira audiência que assisti, ele era juiz em Jundiaí, Dr. Luis Beethoven Giffone Ferreira, um mestre e homem admirável.


(JT): Na sua opinião, qual o maior desafio no Município, para os próximos anos?

(RB): Conseguir realizar o crescimento com sustentabilidade, e resolver seu problema hídrico, relacionado ao nosso abastecimento de água potável.


(JT): Quais são seus planos para o futuro?

(RB): Permanecer com as raízes em Vinhedo, ajudar, socialmente, no desenvolvimento do Município, sempre incentivando políticas públicas , apoiando boas iniciativas dos eventuais governantes, independente de matizes políticas, e criticando a administração quando necessário o for, independente de quem for o gestor, mas sempre de forma construtiva, nunca com política de ódio.


(JT): O que costuma fazer em seu tempo livre? Algum hobby que cultiva?

(RB): Nos meus momentos de lazer procuro estar sempre em família, com minhas filhas, mãe, irmãs, cunhados e sobrinhos. Meu hobby são os cachorros da família (temos três, sendo dois deles advindos da adoção consciente), também gosto muito de livros, e agora, com serviços de streaming, não dispenso uma boa novela das bem antigas (risos).


(JT): Para encerrar, deixe uma mensagem aos leitores vinhedenses?

(RB): Tudo passa, momentos difíceis devem ser encarados como evolução, em que pese a tristeza de tantas famílias enlutadas por perda de entes queridos e amigos, eu mesmo perdi uma tia pra Covid. É evidente que o ser humano não tratou bem o meio ambiente, e continua não tratando. Precisamos mudar o jogo, necessitamos de mais consciência e cidadania. Tudo é possível, pois o impossível é só um ponto de vista.


29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo